Comunicação dos Riscos da Atividade de Turismo

DEFINIÇÃO DO CONTEXTO – PASSEIO NÁUTICO RIO PREGUIÇAS

DEFINIÇÃO DO CONTEXTO DA IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS E AVALIAÇÃO E CONTROLE DE RISCOS DO PRODUTO:

Passeio de lancha e caminhada – Caburé

Atividade

Passeio de Lancha e Caminhada dentro da APA   Pequenos Lençóis.

Objetivos

Identificar, analisar, avaliar e controlar os   riscos relacionados à atividade acima citada durante a operação do passeio náutico.

Local e extensão

A atividade é realizada no Rio Preguiças e   percorre 42 Km. O Rio Preguiças está localizado no município de Barreirinhas/Ma.   Este passeio tem duração de aproximadamente 8:00 horas de atividade. A   atividade tem inicio no embarque dos passageiros na lancha, e segue nesta   ordem:

  •   Vassouras   – duração de 40 min

Vassouras ou Pequenos Lençóis como também é  conhecido,  é uma Área de Proteção Ambiental, onde é   feita uma parada para caminhada nas dunas, e em certos períodos do ano banho   de lagoas (de junho a setembro) e para um descanso e saborear uma água de   coco geladinha;

  •   Mandacaru   – duração de 40 min

O povoado de Mandacaru  é um povoado de uma centena de casas que se   originou a partir do Farol das Preguiças. Neste passeio  poderão subir  uma escadaria de 160 degraus, de onde La de   cima  é possível ter uma visão de 360   graus da região de , dunas, Rio, foz do Rio, o Oceano Atlântico e a vegetação   típica da região.

  •   Barra   das Preguiças – contemplação

A Barra   das Preguiças, onde está localizada a Foz do Rio do mesmo nome,apenas para   contemplação do Rio desembocando no mar;

  •   Praia   do Caburé- duração de 4 horas

E a lancha continua seguindo  rumo a Praia do Caburé, península situada   entre as margens do Rio Preguiças e Oceano Atlântico, localizados na área de   entorno do PNLM, e na APA dos Pequenos Lençóis,nesta parada pode-se fazer uma   caminhada de uns 150 m até o mar , e é também ali que  é a parada para o almoço

  •   Praia   do Atins- duração de 6 horas

E a lancha de Caburé segue  rumo a Praia do Atins, povoado situado   entre as margens do Rio Preguiças e Oceano Atlântico, localizados na área do   Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses ,nesta parada pode-se fazer uma   caminhada de uns 50 metros até a pousada , e para ir até a praia tem uma   caminhada de uns 500 metros , e é também ali que  é a parada para o almoço.

 

Nível de dificuldade da atividade passeio de   lancha

Fácil

Característica do público alvo da atividade   passeio de lancha

Sem restrições de idade

Nível de dificuldade da atividade caminhada nas   dunas

Moderada

Característica do público alvo da atividade   caminhada nas dunas

Sem restrições de idade, desde que seja dada uma   atenção especial a idosos, gestantes e pessoas com deficiência física.

Nível de dificuldade da atividade subida no farol  

Média, pois exige esforço físico.

Característica do público alvo da atividade subida   no farol

Sem restrição de idade, mas exige um bom preparo físico.

Fronteiras e interfaces com outros sistemas ou   atividades

Transfer in e out do hotel até a agencia.

Passeio de lancha e caminhada dentro da APA   Pequenos Lençóis.

Passeio de lancha para Atins e caminhada até a   praia.

 

Estudos Necessários

Os parâmetros utilizados para a identificação dos   perigos e análise dos Riscos foram frutos da experiência e da pratica da   atividade no local durante mais de 20 anos.

Obedecemos às normas da Marinha do Brasil.

Legislação municipal e ambiental.

Normas da ABNT NBR 15331

Utilização das ferramentas do programa Aventura   Segura

Critérios de Avaliação:

  • Para classificação dos Danos foi usado o      seguinte critério:

Danos a Vida

Danos Psicológicos Euforia, raiva, tristeza, choro, depressão e   mudança de comportamento aparente…
Leves Ex: Pequenas escoriações, pequenos cortes, náuseas,   tonturas, câimbras, dor de cabeça, etc.
Médios Ex: Entorses, queimaduras de 1º. Grau, início de   desidratação, fadiga, falta de ar, taquicardia, inicio de desidratação (que   perduram por toda a operação), etc.
Graves Ex: Fraturas, queimaduras a partir de 2º.   grau, insolação, desidratação, afogamento (que exigem tratamento psicológico   após a operação), etc.
Morte Óbito

 

  • Para classificação da Probabilidade (P) foi      usado o seguinte critério:

Probabilidade (P)

1 –   Quase impossível Insignificante. Ocorre somente em circunstâncias   excepcionais.
2 –   Improvável Probabilidade baixa. Poderá ocorrer.
3 –   Pouco provável Probabilidade média. Deverá ocorrer alguma vez.
4 –   Provável Probabilidade alta. Provavelmente ocorrerá em   grande parte das vezes.
5 –   Quase Certo Probabilidade altíssima. Espera-se que ocorra na   maioria das vezes
  • Para classificação da Consequência (C) foi      usado o seguinte critério:

Consequência   (C)

1 –   Insignificante Não requer tratamento e nem remoção. Sem lesões.   Sem perda financeira significante.
2 –   Baixa Requer primeiros socorros no local mas não requer   remoção. Pequena perda financeira (sem impacto na gestão financeira da   empresa).
3 – Moderada Requer remoção e breve tratamento hospitalar.   Comprometimento da continuação da atividade. Perda financeira significativa   (reparável com recursos existentes mas com impacto na gestão financeira)
4 – Alta Requer remoção complexa e demorada e/ou   tratamento hospitalar prolongado (internação). Interrupção da atividade.   Grande perda financeira (reparável através de recursos não disponíveis na   empresa ou seguro)
5 –   Catastrófica Morte. Perda financeira irreparável.

 

  • Para a Análise de Risco (AR)

             AR= Probabilidade (P) x Consequência (C).

Exemplo: AR = 2 (Improvável) X 3 (Moderada) = 6.

  • Para      Avaliação      do Risco:

          PROBABILIDADE

 

QUASE CERTO

5

 

5

10

15

20

25

 

PROVÁVEL

4

 

4

8

12

16

20

 

POUCO PROVÁVEL

3

 

3

6

9

12

15

 

IMPROVÁVEL

2

 

2

4

6

8

10

 

QUASE IMPOSSIVEL

1

 

1

2

3

4

5

 

 

INSIGNIFICANTE

1

 

 

BAIXA

2

 

MODERADA

3

 

ALTA

4

 

CATASTRÓFICA

5

CONSEQÜÊNCIA

 

Avaliação de Risco

Grau

Nível

AR < 6

Baixo

Aceitável

8 < AR < 12

Moderado

Aceitável após tratamento

AR ³ 15

Crítico

Não aceitável

Os critérios adotados para a avaliação e a aceitação ou não dos riscos desse produto foram estabelecidos de acordo com a

política interna da empresa e com o perfil dos clientes desse tipo de produto.

DEFINIÇÃO DO CONTEXTO – LAGOA BONITA

DEFINIÇÃO DO CONTEXTO DA IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS E AVALIAÇÃO E CONTROLE DE RISCOS DO PRODUTO

Passeio de 4×4 e caminhada – Lagoa Bonita

Atividade

Passeio de 4×4 e caminhada no circuito Lagoa   Bonita

Objetivos

Identificar, analisar, avaliar e controlar os   riscos relacionados à atividade acima citada durante a operação do passeio de   Turismo fora de estrada em veículo 4×4.

Local e extensão

A atividade tem inicio na cidade de Barreirinhas,   quando pegamos o cliente em seu hotel e o conduzimos em veículo 4×4 pelas   ruas da cidade em direção a uma das balsas que da acesso a trilha de   areia  que leva ao Parque Nacional dos   Lençóis Maranhenses, este percurso dura em média 1h:30 até o estacionamento   dos veículos .

Para chegar à lagoa é necessário subir uma duna   de 20m.logo no início da caminhada, em seguida caminha-se mais uns 15 min. e   chega-se a lagoa bonita. Esta atividade tem duração de aprox.5h:00.

Fronteiras e interfaces com outros sistemas ou   atividades

Existe interface entre as atividades de 4×4 (fora   de estrada) e caminhada pelas dunas. A atividade está sujeita aos parâmetros   de uso definidos pelo Plano de Manejo da Unidade de Conservação – PARNA   Lençóis Maranhenses.

Estudos Necessários

Os parâmetros utilizados para a identificação dos   perigos e análise dos Riscos foram frutos da experiência e da pratica da   atividade no local durante 20 anos.

Plano de manejo do Parque Nacional.

Legislação municipal e ambiental.

Normas da ABNT NBR 15331

Utilização das ferramentas do programa Aventura   Segura

Critérios de Avaliação:

  • Para classificação dos Danos foi usado o      seguinte critério:

Danos a Vida

Danos Psicológicos Euforia, raiva, tristeza,   choro e depressão.
Leves Ex: Pequenas escoriações,   pequenos cortes, náuseas, câimbras, dor de cabeça, etc.
Médios Ex: Entorses, queimaduras   de 1º. grau, início de desidratação, inicio de afogamento,  fadiga, falta de ar, taquicardia (que   perduram por toda a operação), etc.
Graves Ex: Fraturas, queimaduras   a partir de 2º., grau, insolação, afogamento (que exigem tratamento   psicológico após a operação), etc.
Morte Óbito

Danos   Materiais na estrutura física

  • Para classificação da Probabilidade (P) foi      usado o seguinte critério:

Probabilidade (P)

1 – Quase impossível Insignificante.   Ocorre somente em circunstâncias excepcionais.
2 – Improvável Probabilidade   baixa. Poderá ocorrer.
3 – Pouco provável Probabilidade   média. Deverá ocorrer alguma vez.
4 – Provável Probabilidade   alta. Provavelmente ocorrerá em grande parte das vezes.
5 – Quase Certo Probabilidade   altíssima. Espera-se que ocorra na maioria das vezes.

 

  • Para classificação da Consequência (C) foi      usado o seguinte critério:

Consequência   (C)

1 –   Insignificante Não requer tratamento e nem remoção. Sem lesões.   Sem perda financeira significante.

 

2 –   Baixa Requer primeiros socorros no local mas não requer   remoção. Pequena perda financeira (sem impacto na gestão financeira da   empresa).

 

3 – Moderada Requer remoção e breve tratamento hospitalar.   Comprometimento da continuação da atividade. Perda financeira significativa   (reparável com recursos existentes mas com impacto na gestão financeira)
4 – Alta Requer remoção complexa e demorada e/ou   tratamento hospitalar prolongado (internação). Interrupção da atividade.   Grande perda financeira (reparável através de recursos não disponíveis na   empresa ou seguro)
5 –   Catastrófica Morte. Perda financeira irreparável.

 

  • Para a Análise de Risco (AR)

AR= Probabilidade (P) x Consequência (C).

Exemplo: AR = 2 (Improvável) X 3 (Moderada) = 6.

  • Para      Avaliação      do Risco:

          PROBABILIDADE

 

QUASE CERTO

5

 

5

10

15

20

25

 

PROVÁVEL

4

 

4

8

12

16

20

 

POUCO PROVÁVEL

3

 

3

6

9

12

15

 

IMPROVÁVEL

2

 

2

4

6

8

10

 

QUASE IMPOSSIVEL

1

 

1

2

3

4

5

 

 

INSIGNIFICANTE

1

 

 

BAIXA

2

 

MODERADA

3

 

ALTA

4

 

CATASTRÓFICA

5

    CONSEQÜÊNCIA

Avaliação de Risco

Grau

Nível

AR <   6

Baixo

Aceitável

8 < AR < 12

Moderado

Nâo aceitável

AR ³ 15

Crítico

Não aceitável

Os critérios adotados para a avaliação e a aceitação ou não dos riscos desse produto foram estabelecidos de acordo com a política interna da empresa e com o perfil dos clientes desse tipo de produto, onde não são aceitos riscos com o grau acima de 6  (Baixo).

DEFINIÇÃO DO CONTEXTO LAGOA AZUL

 DEFINIÇÃO DO CONTEXTO DA IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS E AVALIAÇÃO E CONTROLE DE RISCOS DO PRODUTO

Passeio de 4×4 e caminhada – Lagoa Azul

Atividade

Passeio de 4×4 e caminhada

Objetivos

Identificar, analisar, avaliar e controlar os   riscos relacionados à atividade acima citada durante a operação do passeio de   Turismo fora de estrada em veículo 4×4.

Horário e duração do passeio

O horário de saída e de chegada do passeio fica a   critério do cliente.

A duração do passeio é de aprox. 6 horas.

Local e extensão

A atividade tem inicio na cidade de Barreirinhas,   quando pegamos o cliente em seu hotel e o conduzimos em veículo 4×4 pelas   ruas da cidade em direção a uma das balsas que da acesso a trilha de   areia  que leva ao Parque Nacional dos   Lençóis Maranhenses, este percurso dura em média 1h:20 até o estacionamento   dos veículos . Os carros ficam estacionados e começa então a caminhada pelas   dunas caminhada de aprox. 20 min.

 

Nível de dificuldade da atividade passeio de 4×4

Fácil

Característica do público alvo da atividade   passeio de lancha

Sem restrições de idade, desde que seja dada uma   atenção especial a idosos, gestantes e pessoas com deficiência física

Nível de dificuldade da atividade caminhada nas   dunas

Moderada

Característica do público alvo da atividade   caminhada nas dunas

Sem restrições de idade, desde que seja dada uma   atenção especial a idosos, gestantes e pessoas com deficiência física

Fronteiras e interfaces com outros sistemas ou atividades

Passeio de 4×4 e Caminhada dentro do Parque   Nacional dos Lençóis Maranhenses”

 

Estudos Necessários

Os parâmetros utilizados para a identificação dos   perigos e análise dos Riscos foram frutos da experiência e da pratica da   atividade no local durante 20 anos.

Legislação municipal e ambiental.

Normas da ABNT NBR 15331

Utilização das ferramentas do programa Aventura   Segura

Critérios de Avaliação:

  • Para classificação dos Danos foi usado o      seguinte critério:

Danos a Vida

Danos psicológicos Euforia, raiva, tristeza,   choro e depressão…
Leves Ex: Pequenas escoriações,   pequenos cortes, leves, náuseas, câimbras, dor de cabeça, etc.
Médios Ex: Entorses, queimaduras   de 1º. grau, início de desidratação,    fadiga, falta de ar, taquicardia, inicio de afogamento etc.
Graves Ex: Fraturas, queimaduras   a partir de 2º. grau,insolação, afogamento .
Morte Óbito

 

  • Para classificação da Probabilidade (P) foi      usado o seguinte critério:

Probabilidade (P)

1 – Quase impossível Insignificante. Ocorre   somente em circunstâncias excepcionais.
2 – Improvável Probabilidade baixa.   Poderá ocorrer.
3 – Pouco provável Probabilidade média.   Deverá ocorrer alguma vez.
4 – Provável Probabilidade alta.   Provavelmente ocorrerá em grande parte das vezes.
5 – Quase Certo Probabilidade altíssima.   Espera-se que ocorra na maioria das vezes.

 

 

 

 

  • Para classificação da Consequência (C) foi      usado o seguinte critério:

Consequência   (C)

1 –   Insignificante Não requer tratamento e nem remoção. Sem lesões.   Sem perda financeira significante.
2 –   Baixa Requer primeiros socorros no local mas não requer   remoção. Pequena perda financeira (sem impacto na gestão financeira da   empresa).
3 – Moderada Requer remoção e breve tratamento hospitalar.   Comprometimento da continuação da atividade. Perda financeira significativa   (reparável com recursos existentes mas com impacto na gestão financeira)
4 – Alta Requer remoção complexa e demorada e/ou   tratamento hospitalar prolongado (internação). Interrupção da atividade.   Grande perda financeira (reparável através de recursos não disponíveis na   empresa ou seguro)
  • Para a Análise de Risco (AR)

 AR= Probabilidade (P) x Consequência (C).

Exemplo: AR = 2 (Improvável) X 3 (Moderada) = 6.

  • Para      Avaliação      do Risco:

          PROBABILIDADE

 QUASE CERTO

5

5

10

15

20

25

 PROVÁVEL

4 

4

8

12

16

20

POUCO PROVÁVEL

3

3

6

9

12

15

 IMPROVÁVEL

2

2

4

6

8

10

 QUASE IMPOSSÍVEL

1 

1

2

3

4

5

 

 INSIGNIFICANTE

1

BAIXA

2

MODERADA

3

ALTA

4

CATASTRÓFICA

5

    CONSEQÜÊNCIA

Avaliação de Risco

Grau

Nível

AR < 6

Baixo

Aceitável

8 < AR < 12

Moderado

Não aceitável

AR ³ 15

Crítico

Não aceitável

 

Os critérios adotados para a avaliação e a aceitação ou não dos riscos desse produto foram estabelecidos de

acordo com a política interna da empresa e com o perfil dos clientes desse tipo de produto, onde não são aceitos riscos com o grau acima de 6  (Baixo).